Futebol na Rede

  • G+
  • Facebook
  • Twitter
  • Feed

Campeonato Mineiro

- Site oficial do Atlético/MG |

Campeonato Mineiro

Atlético-MG: Zago destaca proximidade da comissão de Sampaoli com o time de transição

O técnico da equipe de transição do Atlético, Leandro Zago, destacou a proximidade da comissão técnica de Jorge Sampaoli. De acordo com ele, essa preocupação em transmitir os mesmos conceitos utilizados no time principal é muito importante.
Essa aproximação acontece por meio de Carlos Alberto Désio, membro da comissão técnica de Sampaoli.
“Eu e o Carlos conseguimos criar muito rápido uma afinidade. Temos deias muito similares em relação ao futebol. Para mim, tem sido um aprendizado muito grande conviver com ele, com as ideias que ele traz, de toda a comissão técnica do Jorge Sampaoli, para o nosso trabalho. Então, percebo que ele tem conseguido implementar muitas ideias já de início daquilo que os atletas vão precisar dominar do ponto de vista técnico e tático para poder jogar na equipe principal", disse.
"É um processo. Estamos em um processo de preparação. É obvio que eles ainda estão distantes, temos quatro ou cinco semanas de diferença na nossa preparação em relação ao time principal, isso tem que ser respeitado, mas essa proximidade com o Carlos, que tem interagido muito bem comigo, com os atletas e a nossa comissão, é muito aberto a debate, conversa, tem apresentado para nós as ideias centrais e um nível de detalhe muito grande também do trabalho que é executado com a equipe principal. Isso tem sido algo muito rico para os atletas. Eles estão tendo acesso a um tipo de conhecimento que não é muito corriqueiro no Brasil, sobre o domínio do tipo de jogo que eles terão para jogar. Isso é muito bom para a carreira deles, para o desenvolvimento dentro do clube", acrescentou.
Leandro Zago afirmou que para ele, particularmente, tem sido um aprendizado grande a convivência com a atual comissão técnica. Ele afirma que é um privilégio acompanhar, de perto, um trabalho de tão alto nível.
"Tem algumas ideias que a gente pode conseguir refinar dentro do nosso trabalho, para a carreira também, dentro do próprio clube, e que podem ser discutidas nas outras categorias para a gente implementar. Tem sido muito enriquecedor esse convívio, essa troca. Vejo uma preocupação muito grande da comissão do Sampaoli com a nossa equipe, no sentido dos atletas que podem estar na equipe principal viverem aquele conteúdo antes para subir preparados. Esse processo tem sido excepcional, tem sido um aprendizado para a minha carreira, como ideias e conceito de trabalho. A partir de tudo isso, para mim, tem sido um crescimento, são dez dias que foram muito intensos e muito produtivos”, comentou.
Zago observou que os trabalhos do grupo de transição estão evoluindo bem. Segundo ele, o trabalho começou com grupos menores, 20 atletas divididos em quatro grupos, e, a partir do segundo teste, os grupos já são de oito jogadores.
"Nesses primeiros dias, nossa preocupação foi colocar os atletas em condição de receber cargas de jogo, carga física, carga técnica, pois eles ficarem muito tempo parados. Óbvio que treinando em paralelo, mas não é igual a estar de chuteira, no gramado, fazendo os movimentos de acelerar, desacelerar, saltar, correr. Então, a gente teve uma preocupação muito grande nesse primeiro momento de criar uma base física. Estamos com dez dias de trabalho para a gente poder iniciar agora o aumento dessa carga e começar a readaptar”.
“Começamos em um cenário muito diferente de uma pré-temporada, onde os atletas têm 25 a 30 dias parados e fazem algumas atividades. Eles fizeram, mas ficaram um período de 70 a 80 dias sem atividades. Então, o reinício foi bem diferente do que a gente faria em uma pré-temporada”.
O treinador concluiu ressaltando a importância de equilibrar fisicamente o elenco. Segundo ele, isso é fundamental porque os atletas estavam treinando separados e, de uma forma de outra, cada um acaba tendo o seu próprio ritmo de treinamento.
"Alguns conseguem cumprir melhor e outros precisam de mais orientação. A gente acaba juntando atletas de, praticamente, três categorias, atletas que estavam comigo na transição, atletas do Sub-20 e um que veio do Sub-17, com ainda 16 anos recém-completados. Então, estamos equalizando e respeitando essa individualidade. Estamos preocupados, cada vez mais, em dar informação, dar conteúdo e mostrar para eles como está sendo feito o trabalho. Estamos muito próximos da comissão da equipe principal e, a partir daí, estamos conseguindo colocá-los em condições de ter desempenho para servir à equipe principal a qualquer momento. Em breve, acredito que eles já estarão preparados para participar dos treinos quando forem solicitados”.

MAIS NOTICIAS - CAMPEONATO MINEIRO