Futebol na Rede

  • G+
  • Facebook
  • Twitter
  • Feed

Campeonato Catarinense

- Site oficial do Figueirense |

Campeonato Catarinense

Em meio à quarentena, Figueirense/PREC usa de artifícios para manter o preparo físico

Em meio à quarentena, Figueirense/PREC usa de artifícios para manter o preparo físico
Foto: Patrick Floriani / Site oficial do Figueirense

Com um calendário extenso durante todo o ano de 2020, com várias competições a se disputar, o Figueirense/PREC, equipe feminina de futebol 7 do Furacão, também foi atingida com a interrupção dos campeonatos devido a pandemia do COVID-19.
Sem disputar uma partida desde o dia 14 de março, com vitória sobre o Avaí por 2 a 1 pela Taça Governador, as atletas alvinegras se mantiveram reclusas em suas casas, seguindo as recomendações de isolamento, e buscaram no crossfit uma alternativa para a manutenção do condicionamento físico. De início, com aulas online, e a partir das liberações municipal e estadual para o funcionamento de academias, as atletas participaram presencialmente em grupos reduzidos e em turnos distintos.
“O crossfit é conhecido por trabalhar as dez capacidades físicas: potência, flexibilidade, resistência cardiovascular e respiratória, coordenação, velocidade, força, equilíbrio, precisão e agilidade. Dessa maneira, a atividade tem a intenção de desenvolver altos níveis de condicionamento físico, contendo exercícios variados, não sendo específico de uma modalidade e de elevada intensidade”, destacou o treinador Emerson Prado, sobre as funcionalidades do crossfit.
“Dessa forma, acredito que com a prática regular do crossfit, nossas atletas irão aumentar ainda mais seus desempenhos físicos proporcionando maiores resultados de performance em campo”, completou.
O treinador alvinegro ainda aponta que a principal dificuldade após um possível retorno será o ritmo de jogo perdido com a paralisação.
“O ritmo de jogo será, sem dúvidas, o ponto a se trabalhar. Nossa equipe nunca ficou sem treinos coletivos e sem competições como hoje. Podemos até estar melhor fisicamente, mas precisará de uma doação das atletas para atingir rapidamente o melhor nível técnico e tático”, pontuou Prado.
O zelo com a parte física das alvinegras também é destacado pela fisioterapeuta da equipe, Flávia Loch. Ela comenta que a manutenção de alguma atividade física na quarentena é relevante para o não surgimento de lesões nas atletas.
”Em termos de prevenção de lesões, é importante que se mantenham ativas, que continuem fazendo algum treinamento que estavam realizando antes da quarentena. Seja academia, funcional, crossfit, corrida na rua, entre outros. Claro que sempre dará uma diminuída no nível, a gente sabe disso, mas elas não podem perder principalmente a parte muscular, fazendo fortalecimento para que na hora que voltem a jogar, não sintam tanto”, comentou Flávia.
“Elas sentirão, de fato, em relação ao ritmo de jogo. Mas para que não surjam novas lesões ou que não voltem lesões antigas que estavam inertes, é sempre importante manter essa ativação”, completou a fisioterapeuta.
Com seis títulos em seis competições disputadas na última temporada, o Figueirense/PREC, se tudo hoje estive na completa normalidade, estaria em ritmo de preparação para a disputa da Liga das Américas, inicialmente marcada para julho, e com Campeonato Catarinense e Mundial de Clubes ainda pela frente.
Bel, uma das destaques da equipe, conta que a quarentena acabou pegando as atletas de surpresa, contudo já tinham em mente o que fazer para manter a parte física em casa.
“A quarentena acabou pegando todo mundo de surpresa e os times tiveram que se adaptar. Os treinos de forma online e de casa nos ajudaram para que nós permanecêssemos ativas, e antes mesmo disso as meninas já tinham uma noção de que mesmo estando em casa, a gente tem que estar ativa de alguma maneira”, contou Bel.
A central Alvinegra concorda que o ritmo de jogo será o principal fator a se trabalhar em uma possível volta, porém frisa um ponto forte que possa facilitar um pouco este processo.
“O mais difícil de se pegar quando tudo voltar será realmente o ritmo de jogo, pois se nada estivesse acontecido, nosso time estaria com os treinos em dia e com várias competições já disputadas. Agora será como se tudo começasse do zero, mas um dos pontos positivos da nossa equipe é que já estamos algum tempo juntas, então isso facilita um pouco esse nosso reencontro com a bola”, disse a Xerife da defesa Alvinegra.

MAIS NOTICIAS - CAMPEONATO CATARINENSE