Futebol na Rede

  • G+
  • Facebook
  • Twitter
  • Feed

Campeonato Paulista

- Site oficial do Palmeiras |

Campeonato Paulista

Palmeiras sofre revés em casa e foca em clássico contra o São Paulo

Palmeiras sofre revés em casa e foca em clássico contra o São Paulo
Foto: Cesar Greco/Site oficial do Palmeiras

Já com vaga garantida às quartas e final do Campeonato Paulista, o Palmeiras voltou ao Allianz Parque, nesta segunda-feira (05), às 20h30 (de Brasília), para enfrentar a equipe do São Caetano, pela 10ª rodada do torneio estadual. Com um gol sofrido no primeiro tempo por Chiquinho, o Verdão sofreu revés pela segunda vez na competição e agora foca no clássico de quinta-feira (08), contra o São Paulo. 
O Alviverde começou a partida com jogadores que não vinham atuando constantemente: casos de Fabiano, Luan e Juninho. Pelo fato de o goleiro Jailson ter cumprido suspensão nesta partida diante do São Caetano, devido ao episódio da expulsão no clássico contra o Corinthians, pela 9ª rodada do Estadual, Fernando Prass voltou ao gol palestrino.
Thiago Santos, Gustavo Scarpa, Guerra e Keno completaram o time titular de Roger Machado para a disputa da 10ª rodada – estes jogadores até atuaram em partidas recentes, porém, na maioria das vezes, saindo do banco de reservas. Michel Bastos e Tchê Tchê foram duas peças mantidas, das que vêm sendo utilizadas com frequência no time titular.
Além disso, Bruno Henrique também voltou a campo. O meio-campista havia entrado como substituto em algumas partidas desta temporada (Santo André, Botafogo, Red Bull, Santos e Ponte Preta), entretanto, como titular no último jogo do Verdão, na vitória sobre o Junior Barranquilla, pela Conmebol Libertadores, inclusive marcando dois dos três gols do triunfo por 3 a 0.
O Alviverde volta a campo nesta quinta-feira (08), para enfrentar o rival São Paulo, também no Allianz Parque, às 20h30 (de Brasília). Em seguida, o Palmeiras encerra sua participação na primeira fase do Paulistão visitando o Ituano, no Estádio Novelli Júnior, em Itu, São Paulo (SP).
O jogo
Ao contrário do que costuma fazer nos primeiros minutos em jogos como mandante no Allianz Parque, o Palmeiras iniciou a partida diante da equipe do São Caetano sem conseguir imprimir a mesma pressão que exerce costumeiramente sobre seus adversários visitantes nos primeiros minutos.
Com algumas dificuldades de criação e alguns erros de marcação individual, demonstrando certa dificuldade em trabalhar a bola, tanto no toque quanto no lançamento – talvez pelo não entrosamento do time –, o Palmeiras não se encontrou e acabou sofrendo um gol inesperado logo nos movimentos iniciais da partida, aos seis minutos, quando Chiquinho recebeu lançamento de Alex Reinaldo e não desperdiçou, chutando cruzado. (Palmeiras 0x1 São Caetano)
O Palmeiras pareceu ter sentido a pressão do gol. Aos oito minutos, o Maior Campeão do Brasil sofreu outro grande susto: após um cruzamento do São Caetano, o jogador Diogo Rosa surpreendeu ao chutar de letra. Por muita sorte e puro reflexo de Fernando Prass, a bola não entrou.
 
Após alguns minutos passados ao longo da primeira etapa, o jogo passou a ficar morno, até que, aos 31 minutos, o Verdão finalmente conheceu sua primeira grande chance de vazar a meta rival, com Thiago Santos, que cabeceou e carimbou o travessão após receber passe de Juninho.
 
Aos 36 minutos, houve um lance curioso que levou perigo à meta do Verdão. Fernando Prass saiu da grande área após ser driblado por Erminio. O goleiro palestrino acompanhou o lance até o limite da linha lateral, fechando o ângulo do ataque do Azulão, recuperando a situação.
Aos 39 minutos, o Palmeiras reagiu, e chegou com novamente perigo, dessa vez com Guerra, que bateu forte para que o goleiro adversário espalmasse. Na sequência, Michel Bastos aproveitou a sobra e disparou novamente contra o arco da equipe visitante, levantando os mais de 22 mil torcedores presentes no Allianz Parque.
Quando o Verdão começava a desenhar um cenário de pressão intensa sobre o São Caetano nos minutos finais, um cruzamento assustou o time de Roger Machado. A zaga alviverde chegou atrasada em um contra-ataque, e o gol rival não saiu por muito pouco: o atacante do São Caetano se esticou por completo, e por poucos centímetros a bola passou reto, para alívio da torcida esmeraldina. Dessa forma o primeiro tempo se encaminhou ao fim.
No intervalo, o técnico Roger Machado resolveu mexer no time: colocou o atacante Willian no lugar no meio-campista Tchê Tchê. O fato foi que a equipe palestrina voltou com a postura extremamente oposta àquela apresentada na etapa anterior.
Logo nos primeiros movimentos do segundo tempo, o Palmeiras se empenhou bem e trabalhou a posse de bola, tanto que chegou a balançar as redes adversárias, logo com um minuto de bola rolando. O tento, no entanto, não foi validado pela marcação de posição de impedimento.
Mesmo já apresentando uma postura diferente em campo, aos 14 minutos, o treinador palmeirense resolveu mudar novamente o time: agora entrou Moisés no lugar de Bruno Henrique. O camisa 10 do Verdão foi extremamente aplaudido pelos torcedores que apreciavam a peleja.
Após algumas jogadas impondo pressão sobre a equipe visitante, o Palmeiras chegou em sua melhor chance após tabela trabalhada com Keno e Guerra: a bola ficou nos pés do camisa 11, que chutou, assustando o goleiro adversário: a bola passou tirando tinta da trave esquerda do guarda-metas rival.
Aos 29, Roger Machado decidiu mexer pela última vez em sua equipe: tirou o meia Alejandro Guerra e colocou em seu lugar a jovem promessa das categorias de base, Papagaio, que entrou em campo com a camisa de número 49.
Aos 38 minutos, o Palmeiras ficou muito perto de marcar um gol após bate-rebate na área do São Caetano. Nessa mesma jogada, inclusive, os jogadores reclamaram veementemente de pênalti no atacante Willian. O árbitro, que estava em cima da jogada, no entanto, mandou o jogo seguir.
Com mais algumas tentativas até o final do segundo – incluindo uma cobrança de falta venenosa de Gustavo Scarpa – e sem sofrer grandes sustos, o Palmeiras ainda contou com cinco minutos de acréscimo para tentar mais alguma investida contra o Azulão, visando o gol de empate, mas não conseguiu lograr êxito e terminou mesmo derrotado dentro de casa.
Palmeiras: Fernando Prass; Fabiano, Luan, Juninho e Michel Bastos; Thiago Santos, Tchê Tchê (Willian, no intervalo) e Bruno Henrique (Moisés, aos 14'/2ºT); Gustavo Scarpa, Keno e Guerra (Papagaio, aos 29'/2ºT). Técnico: Roger Machado.
Cartões amarelos: Gustavo Scarpa e Moisés.

MAIS NOTICIAS - CAMPEONATO PAULISTA